[...] E se já não sinto os teus sinais pode ser da vida acostumar. Será, Morena?
As pessoas mais solitárias são as mais gentis. As pessoas mais tristes possuem os sorrisos mais brilhantes. As pessoas mais devastadas são as mais sábias. Tudo isso porque elas não querem ver ninguém sofrer da maneira que elas sofrem.”
Senhor José, 89 anos. 
Carrego o peso da lua,
Três paixões mal curadas,
Um saara de páginas,
Essa infinita madrugada.”
Paulo Leminski 
Toda pessoa deve ter três caixas para guardar o humor: uma caixa grande para o humor mais ou menos barato que a gente gasta na rua com os outros; uma caixa média para humor que a gente precisa ter quando está sozinho, para perdoares a ti mesma, para rires de ti mesma; por fim, uma caixinha preciosa, muito escondida, para as grande ocasiões. Chamo de grandes ocasiões os momentos perigosos em que estamos cheios de dor ou vaidade, em que sofremos a tentação de achar que fracassamos ou triunfamos, em que nos sentimos umas drogas ou muito bacanas.”
Paulo Mendes Campos, na crônica: “Para Maria da Graça”, do livro: “Para gostar de ler - vol. 4”  
Eu sei que sobre nos tudo é sempre complicado, mas um dia vai se descomplicar, pode acreditar. Te dei meu coração você cuidou tão bem, agora quero entregar meu corpo pra você também. Vem, me diz se eu to errado mina, mas algo me diz que a nossa vibe combina. Eu tava ali, procurando meu rumo pra seguir, então quando eu te vi, tava tudo tão chato por aqui. Eterno nada é, posso dizer, mas vou fazer o possivel pro nosso amor ser, um dia a gente vai se ver, bem velhinhos pelo espelho e eu cantando outra musica pra você. Porque quando a gente se entrega pra vida, a vida só nos devolve coisas boas, e ela me deu você e eu vi nessa corrida que você é você e pessoas são pessoas. Ai que saudade de você de baixo do meu cobertor.”
Projota.
Insônia é saudade atrasada que perde o trem do meio-dia, e chega na ponta dos pés sem fazer barulho. Esta é só mais uma daquelas fases da vida sobre continuar de pé, sobre acreditar em dias melhores apesar de tudo. O tudo que amarra a corda no seu pescoço e o muito que não te deixa pular. Abismo, precipício, fundo do poço, chame do que quiser. Este é só mais um daqueles lugares aonde a gente vai parar depois de achar que já morreu, mas continua vivo. Mas é claro que os dias não são fáceis e nem curtos, dias ruins são intermináveis, assim como as noites em que a saudade resolve dormir comigo e eu não encontro espaço na cama. Eu fico feio quando eu choro? Porque eu sinto como se chorasse o tempo todo, a beleza interior é o que conta - ele me disse dois dias antes de ir embora - agora me pergunto que beleza existe em um espaço vazio. A arte de viver na fé, só não se sabe fé em quê. Eu desisto todos os dias, falando francamente se houvesse um campeonato sobre desistir eu certamente não seria o vencedor, desistiria antes mesmo de terminar. Minha beleza está em recomeçar mesmo depois de ficar sozinho e gasto. Esperança também acaba, não te contaram? Eu sou assim, desinteressadamente atento á tudo o que não me serve mais, o seu amor é um grande exemplo, cá estou eu olhando para uma pilha de lembranças de tudo o que já foi dito, acreditando que o telefone vai tocar e vai ser você com aquela voz morna de quem sente saudade e me quer de volta. A insônia no fundo do poço não é tão ruim, quando fica escuro em um céu cheio de estrelas, é você que eu vejo.”
Ciceero M. 
Enquanto não encerramos um capítulo, não podemos partir para o próximo. Por isso é tão importante deixar certas coisas irem embora, soltar, desprender-se. As pessoas precisam entender que ninguém está jogando com cartas marcadas, às vezes ganhamos e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.”
Fernando Pessoa.  

Borboletas no estômago e pregos no coração.

Ora, tudo que posso dizer é que existem bilhões de mulheres no mundo, certo? Algumas bem vistosas. Muitas muito bonitas. Mas de vez em quando a natureza nos sai com um truque bestial, reúne todos os atributos numa mulher especial, uma mulher inacreditável. Quer dizer, a gente olha e não acredita. Tudo se move em perfeita ondulação, mercúrio, serpente, a gente vê umas cadeiras, um cotovelo, uns peitos, um joelho, e tudo se funde numa unidade gigantesca, um todo inesquecível, com aqueles olhos lindíssimos a sorrir, a boca meio descaída, os lábios imóveis como prontos para estourar numa gargalhada, pela sensação de impotência da gente. E elas sabem se vestir, e o cabelo longo incendeia o ar. Tudo demais, porra.”
Charles Bukowski.
É fácil dizer que ama, quando é apenas ausência de um abraço ou carinho que se sente. O difícil é provar que se ama quando se tem mil motivos pra desistir de uma pessoa e mesmo assim você persiste.”
Pedro Schier.